O espanto do Natal

Nós que todos os anos vivemos o Natal perdemos o espanto perante o Natal. Essa é uma das piores coisas que pode acontecer a quem vive todos os anos o Natal. De facto, aqueles que participam com fervor na celebração anual do Natal sentem muitas emoções acerca dele, desde a elevação espiritual à indignação perante o consumismo e o desinteresse da sociedade. Mas raramente sentem aquilo que é o mais adequado perante o mistério natalício: o espanto.
O espanto principal vem, naturalmente, do próprio acontecimento que se celebra: que Deus omnipotente, que não cabe nos Céus, tenha decidido descer até nós e nascer como um menino, é algo de inaudito, inconcebível, quase inacreditável. Este é o mistério central da nossa fé cristã, mas dificilmente o conseguimos entender, quanto mais descrever, de tal forma ele ultrapassa tudo o que podemos imaginar. Vivemos todos os dias com ele, mas não somos capazes de compreender aquilo em que baseamos a nossa própria vida. O nosso Deus é, sem dúvida, espantoso!
Mas, mesmo se olharmos o Natal de fora, ele é uma festa absolutamente assombrosa. Se virmos o Natal como alguém que nada sabe sobre ele, se o considerarmos sem referência ao seu significado espiritual, temos de admitir que se trata de um fenómeno impressionante.
Ele é a única festa verdadeiramente global que o mundo alguma vez viu. O Natal atravessa todas as fronteiras e culturas. Existem, sem dúvida, muitas pessoas a quem o Natal nada diz, mas é difícil encontrar alguém que não saiba que ele existe.
Por outro lado, todos falam do "espírito natalício" mesmo quando ignoram o tal significado espiritual. De múltiplas maneiras e formas, os meios agnósticos, pagãos e até ateus se sentem tocados por uma mística que não sabem de onde vem. "Festa da família", "tradição popular", "quadra da solidariedade", "reino do Pai Natal" são maneiras comuns de descrever aquilo que ninguém consegue explicar, mas que todos sentem palpavelmente nesta quadra.
Os fenómenos espantosos que rodeiam o Natal são muitos mais. Por exemplo, trata-se da única celebração de aniversário que se verifica há mais de 2000 anos. Mas vale a pena pensar um pouco de onde vem esta surpreendente realidade. Se aquele que nada sabe sobre o Natal quiser entender a origem daquilo que tanto o surpreende, onde deve ele procurar a resposta? Que lhe podemos dizer nós, aqueles que todos os anos vivemos o Natal e participamos com fervor na sua celebração?
Bem, esta questão levar-nos-ia muito longe. Alguns refeririam dados sociológicos, históricos e etnográficos. Falariam da influência planetária da civilização ocidental, do gosto das culturas pelos presentes e pelas festas e de muitas outras coisas. Mas não existem muitas dúvidas que a razão última do fenómeno vem, simplesmente, do facto indiscutível que o nosso Deus é espantoso. O Deus que fez as girafas e os cometas, que concebeu a aurora e as trovoadas, que imaginou as galáxias e os seres humanos, só Ele poderia inventar uma coisa como o Natal.
João César das Neves

Partilha

Share/Bookmark

Querem roubar-Te o Natal, Senhor...

Querem roubar-Te o Natal, Senhor.

Querem ficar com a festa,
mas não querem convidar o festejado.

Querem a árvore de Natal, mas esquecem a sua origem;
querem dar e receber presentes,
mas esquecem os que os Magos Te levaram a Belém;
querem cantos de Natal,
mas esquecem os que os Anjos Te cantaram naquela noite abençoada.
Até a São Nicolau o disfarçaram de “pai Natal”.

Querem as luzes e o feriado, o peru e as rabanadas;
Querem a Ceia de Natal
mas já não vão à Missa do Galo,
nem Te adoram feito Menino nas palhinhas do Presépio.

Quando se lembram estas coisas e o facto que lhes deu origem
diz-se que “o Natal é todos os dias”,
mas não se dispensa esta quadra de consumo e folguedos.

No meio de toda esta confusão deseja-se a paz e a fraternidade,
mas esquecem que só Tu lhes podes dar.

E a culpa de tudo isto ser assim… é também minha
que alinho nesta maneira pouco cristã de celebrar o teu nascimento.

Se desta vez eu der mais a quem tem menos
e comprar menos para quem já tem quase tudo…
se em vez de me cansar a correr de loja em loja
guardar esse tempo para parar diante de Ti…

Se neste Natal fores mesmo Tu a razão da minha festa…
as luzes e os cantos, o peru e as rabanadas, os presentes e a até o Pai Natal
me falarão de Ti e desse gesto infinito do Teu Amor
de teres viindo ao meu encontro nessa noite santa do teu Natal.

Rui Corrêa d’Oliveira – “Bom dia” – Canal Sim RR –08.12.2008

Partilha

Share/Bookmark

25 de Dezembro

Lc 2, 1-14

«Isto vos servirá de sinal: encontrareis um Menino recém-nascido, envolto em panos e deitado numa manjedoura.»


Buscamos um Rei, Senhor do Universo, Criador do Céu e da Terra, e de todas as coisas visíveis e invisíveis. Encontramos um bebé, indefeso e pobremente vestido, deitado nas palhas de um estábulo.
Diante do presépio, o nosso mundo todo feito de aparências e conveniências sociais fca de pernas para o ar.
Quando a Madre Teresa de Calcutá recusava ofertas de frigorífcos ou de ar condicionado para as casas das Missionárias da Caridade achavam-na ingrata, louca ou antiprogresso. Mas ela compreendera este Menino, e procurava segui-Lo vivendo com as suas irmãs em condições próximas das dos rejeitados pela sociedade, a quem queria ajudar.
Peçamos ao Deus Menino que nos ajude a ver para lá das aparências, a afinar critérios, para discernirmos o que é mais urgente e necessário para Seu maior serviço e louvor, e nosso bem.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

24 de Dezembro

Lc 1, 67-79

«Graças ao coração misericordioso do nosso Deus, que das alturas nos visita como Sol-nascente, para iluminar os que vivem nas trevas e na sombra da morte e dirigir os nossos passos no caminho da paz.»


Sustemos a respiração, contamos os minutos que parecem horas, espreitamos as palhinhas ainda vazias (e, junto ao presépio, os embrulhos coloridos que os tios e primos trouxeram…). Perguntam: «já serão horas?», respondem: «se quiserem lugar sentado na igreja…»
Rompem os sinos, ressoam glórias! Missa do Galo, Deus menino, milagre renovado!
Mistério insondável de um Deus que das alturas nos visita, recém-nascido nas palhas da manjedoura.
Que Ele nos conceda «a graça de O servirmos sem temor, livres das mãos dos nossos inimigos, em santidade e justiça, na Sua presença, todos os dias da nossa vida».

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

23 de Dezembro

Ml 3, 1-4.23-24

«Vou enviar o meu mensageiro, para preparar o caminho diante de Mim.»


O Senhor vem ao nosso encontro. O Senhor anuncia-nos que vem. Conseguimos ouvi-Lo por entre a agitação das compras de última hora, na estonteante roda-viva dos que se acotovelam ao som incessante de jingle bells e santas-claus, entre acenos efusivos e votos de boas festas maquinais?
Procuremos fazer silêncio, sobretudo dentro de nós, e estar atentos e vigilantes, ao que se passa à nossa volta, para melhor O amar e servir.Também para reconhecermos os sinais do Senhor, que nos confrmam e nos confortam. Ele é Deus connosco. Ele anuncia-Se e vem.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

22 de Dezembro

Lc 1, 46-56

«O Todo-poderoso fez em mim maravilhas, Santo é o seu nome.»


Paramos um momento, mudos de espanto, a contemplar a obra da Criação: todo o Universo – o que dele conhecemos – estrelas, cometas, planetas a anos luz da terra… Pensamos neste nosso «planeta verde» – o que nós ainda não estragámos – com seus mares e oceanos, desertos e montanhas, e todos as plantas e animais. Pensamos na Humanidade, na enorme diversidade de raças, línguas e costumes – mesmo nestes tempos de globalização. Cada ser humano é único e irrepetível. Ainda mais espantados caímos na conta que este Senhor Todo-poderoso, criador do Céu e da Terra, me criou também a mim – e a cada um dos que aqui rezam hoje comigo – e que, mais do que isso, Ele tem estado sempre ao meu lado. Como Maria, damos graças por todas as maravilhas que o Senhor fez. Em mim.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

21 de Dezembro

2 Sm 7, 1-5.8b-12.14a.16

«Natã respondeu ao rei: ‘Faz o que te pede o teu coração, porque o Senhor está contigo.’»
«Faz o que te pede o teu coração.»


Hoje damos graças a Deus porque temos um tecto que nos abriga da chuva e do frio que fazem lá fora; porque temos de que comer e o que vestir. Damos graças ao Senhor pelo nosso trabalho; pela escola onde estudamos com os olhos postos no futuro. E sobretudo damos graças pela nossa família e pelos nossos amigos, que nos acompanham nas alegrias e nos amparam nas tristezas.Comprometemo-nos neste Advento – concretamente – a aju-dar quem não tem meios materiais de prover ao seu sustento e quem, rico ou pobre, está triste ou só.
Porque somos nós «as pedras vivas do templo do Senhor».
Porque Ele está connosco.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

4ª Semana do Advento

2 Sm 7, 1-5.8b-12.14a.16

Quando David já morava em sua casa e o Senhor lhe deu tréguas de todos os inimigos que o rodeavam, o rei disse ao profeta Natã: «Como vês, eu moro numa casa de cedro e a arca de Deus está debaixo de uma tenda.» Natã respondeu ao rei: «Faz o que te pede o teu coração, porque o Senhor está contigo.» Nessa mesma noite, o Senhor falou a Natã, dizendo: «Vai dizer ao meu servo David: «Assim fala o Senhor: Pensas edifcar um palácio para Eu habitar? Tirei-te das pastagens onde guardavas os rebanhos, para seres o chefe do meu povo de Israel. Estive contigo em toda a parte por onde andaste e exterminei diante de ti todos os teus inimigos. Dar-te-ei um nome tão ilustre como o nome dos grandes da terra. Prepararei um lugar para o meu povo de Israel; e nele o instalarei para que habite nesse lugar, sem que jamais tenha receio e sem que os perversos tornem a oprimi-lo como outrora, quando Eu constituía juízes no meu povo de Israel. Farei que vivas seguro de todos os teus inimigos.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

O Senhor anuncia que te vai fazer uma casa. Quando chegares ao termo dos teus dias e fores repousar com teus pais estabelecerei em teu lugar um descendente que há-de nascer de ti e consolidarei a tua realeza. Serei para ele um pai e ele será para Mim um flho. A tua casa e o teu reino permanecerão diante de Mim eternamente e o teu trono será frme para sempre.»

Partilha

Share/Bookmark

20 de Dezembro

Lc 1, 26-38

“Ela fcou perturbada com estas palavras e pensava que saudação seria aquela. Disse-lhe o Anjo: ‘Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus.’»


Às vezes perturbamo-nos, com o que se passa à nossa roda: na nossa família, entre os nossos amigos, com os colegas de escola ou de trabalho, no nosso país ou no mundo...
Às vezes vivemos mesmo perturbados, desordenados, confusos, comovidos, toldados, atarantados...
«Não temas.» Uma só coisa é necessária: encontrar graça diante de Deus. Para podermos responder como Maria, após o sobressalto do espanto inicial, com humildade profunda e serena confança: «Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra.»

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

19 de Dezembro

Lc 1, 5-25

«Eram ambos justos aos olhos de Deus e cumpriam irrepreen-sivelmente todos os mandamentos e leis do Senhor.»


Zacarias e Isabel eram justos aos olhos do Senhor. Apesar de não terem flhos – o que naquele tempo era considerado uma desgraça – e de ambos terem já idade avançada, cumpriam todos os mandamentos.Não tinham desistido, não se consideravam injustiçados, não se queixavam continuamente…
Suportavam pacientemente os desígnios do Senhor, cumprin-do sempre as Suas leis.
Peçamos a graça de sabermos nós também suportar, com seme lhante perseverança, os pequenos ou grandes infortúnios das nossas vidas, sem nunca desfalecer de amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

18 de Dezembro

Mt 1, 18-25

«O que nEla se gerou é fruto do Espírito Santo.»


O nosso percurso até ao presépio de Belém, e mais tarde à Páscoa da Ressurreição, é feito também de momentos de incom-preensão e de noite escura. Quantas vezes na nossa vida e na daqueles que nos ro deiam não conseguimos ver o que é fruto do Espírito Santo!
Que São José, o grande mestre da humildade e da discrição, nos sirva de modelo e guia nas alturas em que mais difculdade temos em compreender e aceitar. Amanhã vou tentar ver em todas as situações mais os aspectos positivos do que os negativos e em todas as pessoas mais as qualidades do que os defeitos.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

17 de Dezembro

Mt 1, 1-17

«Jacob gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo.»


Deus escolheu fazer-se homem, encarnando na nossa experiência real e concreta. Não é um Deus distante e impessoal que nos ignora com indiferença. Aos Seus olhos cada um de nós é o mais precioso flho único, fruto da mais distinta linhagem.
Obrigado, ó meu Deus, pelo bem maior dessa proximidade!
Amanhã vou abrir o meu coração e perceber em cada situação porque é que sou o flho preferido de Deus.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

16 de Dezembro

Mt 21, 28-32

«Qual dos dois fez a vontade do Pai?»


Fazer a vontade do Pai nem sempre é fácil. Diz-nos isso a nossa experiência de cada dia e de toda uma vida. Guiados pelo exemplo d'Aquele que é manso e humilde de coração, saibamos pedir neste Advento o dom da obediência à vontade do Pai, sobretudo naqueles aspectos em que temos mais difculdade em a aceitar plenamente.
Amanhã vou procurar aceitar com mais paciência as contrariedades que o dia me trouxe.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

15 de Dezembro

Nm 24, 2-7.15-17a

«A água transbordará de seus cântaros e a sua semente será abundantemente regada.»


O Povo de Deus, nos tempos do Antigo Testamento como nos nossos dias, é abençoado com a abundância das graças do Senhor. Assim saibamos nós beber dessa água viva que brota do coração misericordioso de Jesus!
Amanhã levarei àqueles com quem me cruzar a alegria da amizade de Jesus.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

14 de Dezembro

1Ts 5, 16-24 S. João da Cruz

«É fiel Aquele que vos chama e cumprirá as Suas promessas.»

Somos chamados à fdelidade irrepreensível em todos os aspectos da nossa vida. Sabendo que nessa caminhada até à vinda de Jesus, Ele estará sempre connosco, sem nunca nos falhar com o Seu apoio, amizade e graça.
Amanhã vou tentar dizer sim sem hesitações, colocando a vontade de Deus à frente da minha.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

3ª Semana do Advento

1Ts 5, 16-24

«Irmãos: Vivei sempre alegres, orai sem cessar, dai graças em todas as circunstâncias, pois é esta
a vontade de Deus a vosso respeito em Cristo Jesus. Não apagueis o Espírito, não desprezeis os
dons proféticos; mas avaliai tudo, conservando o que for bom. Afastai-vos de toda a espécie de mal.
O Deus da paz vos santifque totalmente, para que todo o vosso ser – espírito, alma e corpo – se conserve irrepreensível para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo. É fel Aquele que vos chama e
cumprirá as suas promessas.»

n "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

13 de Dezembro

Mt 17, 10-13

«Eu vos digo, porém, que Elias já veio mas, em vez de o reconhecerem, fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim também o Filho do Homem será maltratado por eles.»


Quantas e quantas vezes, somos nós que O maltratamos?
Quantas e quantas vezes o negamos, como Pedro ou o entregamos como Judas?!
Neste dia, tomemos consciência da nossa condição de pecadores.
Tenhamos a humildade do arrependimento e a coragem de pedir perdão.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

12 de Dezembro

Mt 11, 16-19

«Veio João Baptista, que não come nem bebe, e dizem que tinha o demónio com ele. Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizem: ‘É um glutão e bebedor de vinho, amigo de cobradores de impostos e de pecadores!’ Mas a sabedoria foi justifcada pelas suas obras.»


O Mistério de Jesus Cristo, Deus feito homem, «que come e bebe» foi um escândalo para os seus contemporâneos.
Ao longo de mais de 2000 anos continua a ser incompreen-dido por muitos.
Também escandalosa é a relação aos mais odiados e des-prezados da sociedade.
Mas a sua humanidade e universalidade são precisamente a sua maior dádiva.
Hoje, vamos dar especial atenção àqueles que mais se diferenciam de nós, da nossa maneira de viver e das nossas convicções. Jesus vai nascer também para eles!

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

11 de Dezembro

Is 41, 13-20

«Sou Eu, o Senhor, teu Deus, que te seguro pela mão, e te digo: ‘Não tenhas medo, Eu venho em teu auxílio?’»

É este Deus que quer nascer ou renascer em cada Natal, no nosso coração e na nossa vida.
É este Deus que nos vem segurar pela mão.É este Deus que está sempre presente.
Neste dia, principalmente nos momentos mais difíceis, lembre-mo-nos que Ele caminha connosco.Lembremo-nos do apelo de João Paulo II para, como católicos, não termos medo.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

10 de Dezembro

Mt 11, 28-30

«Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, que Eu hei-de aliviar-vos. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito.»


Perante a opressão, a doença, o desânimo, Cristo oferece-nos o seu exemplo de amor e de humildade como caminho de esperança.Só pela entrega das nossas vidas e em particular dos nossos sofrimentos a Deus, poderemos encontrar o descanso para o nosso espírito.
Neste dia, propomos um momento de oração, onde procuremos oferecer a Deus os nossos sofrimentos vividos no dia-a-dia.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

9 de Dezembro

Is 40, 1-11

"Preparai no deserto o caminho do Senhor, abri na estepe uma estrada para o nosso Deus. Sejam alteados todos os vales e abatidos os montes e as colinas; endireitem-se os caminhos turtuosos e aplanem-se as veredas escarpadas."

Fazer deserto neste tempo de Advento é ser capaz de esvaziar o coração de tudo o que pode ser obstáculo ao "caminho do Senhor".
Fazer deserto neste tempo de Advento é valorizar o que realmente é importante na nossa vida.
Neste dia façamos o discernimento relativamente àquilo que nos conduz ao verdadeiro «caminho» e desvalorizemos aquilo que não vale a pena e só nos atrapalha e empata.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

8 de Dezembro

Lc 1, 26-38

"Maria disse então: 'Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra.' E o anjo retirou-se de junto dela."


O Nascimento de Jesus, dependeu desta resposta de Maria ao anjo São Gabriel.
Uma resposta positiva, firme e sem hesitações.
E as nossas respostas aos apelos de Deus? Serão sempre tão afirmativas e decididas como a de Maria?
Neste diapropomos uma reflexão sobre os apelos que Deus nos faz. Que atenção damos a esses apelos e de que forma temos respondido?

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

7 de Dezembro

Mc 1, 1-8
Sto. Ambrósio

"Vai chegar depois de mim quem é mais forte do que eu, diante do qual não sou digno de me inclinar para desatar as correias das suas sandálias. Eu baptizo-vos na água, mas Ele baptizar-vos-á no Espírito Santo."


Deus é imensamente mais do que nós
Deus é a nossa fortaleza!
E, no entanto, quis fazer-se pequenino, frágil e dependente.
Neste dia, abandonemo-nos à Sua protecção e entreguemos nos Seus braços, a nossa confiança, as nossas fragilidades e a nossa pequenez.

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

2ª Semana do Advento

Mc 1, 1-8

«Início do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. Está escrito no profeta Isaías: «Vou enviar à tua frente o meu mensa geiro, que preparará o teu caminho. Uma voz clama no deserto: ‘Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.’» Apare ceu João Baptista no deserto, a proclamar um baptismo de penitência para remissão dos pecados. Acorria a ele toda a gente da região da Judeia e todos os habitantes de Jerusalém e eram baptizados por ele no rio Jordão, confessando os seus pecados. João vestia-se de pêlos de camelo, com um cinto de cabedal em volta dos rins, e alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. E, na sua pregação, dizia: «Vai chegar depois de mim quem é mais forte do que eu, diante do qual eu não sou digno de me inclinar para desatar as correias das suas sandálias. Eu baptizo-vos na água, mas Ele baptizar-vos-á no Espírito Santo.» »
in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark


Por ocasião do 60.º aniversário da Declaração dos Direitos Humanos no próximo dia 10 de Dezembro, a C-FAM organizou, juntamente com outras organizações pró-vida e pró-família, um abaixo-assinado contra a intenção de declarar o aborto como um Direito Humano, pela ONU.

O documento, que já foi subscrito por cerca de 30 mil pessoas, só na versão portuguesa, defende “o direito à vida de cada ser humano, da concepção até a morte natural, tendo cada criança o direito de ser concebida, nascida e educada no seio de uma família, baseada no matrimónio entre um homem e uma mulher, sendo a família o grupo de unidade natural e fundamental da sociedade”.

Todas as assinaturas serão apresentadas na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, no dia 10 de Dezembro.A C-FAM, líder da campanha, é uma organização fundada em 1997 para acompanhar e promover a vida no debate sobre políticas sociais nas Nações Unidas e outras instituições internacionais.

Partilha

Share/Bookmark

1ª semana do Advento

Is 63, 16b-17.19b; 64, 2b-7

«Vós, Senhor, sois nosso Pai e nosso Redentor, desde sempre, é o vosso nome. Porque nos deixais, Senhor, desviar dos vossos caminhos e endurecer o nosso coração, para que não Vos tema? Voltai, por amor dos vossos servos e das tribos da vossa herança. Oh se rasgásseis os céus e descêsseis! Ante a vossa face estremeceriam os montes! Mas vós descestes e perante a vossa face estremeceram os montes. Nunca os ouvidos escutaram, nem os olhos viram que um Deus, além de Vós, fizesse tanto em favor dos que n’Ele esperam. Vós saís ao encontro dos que praticam a justiça e recordam os vossos caminhos. Estais indignado contra nós, porque pecámos e há muito que somos rebeldes, mas seremos salvos. Éramos todos como um ser impuro, as nossas acções justas eram todas como veste imunda. Todos nós caímos como folhas secas, as nossas faltas nos levavam como o vento. Ninguém invocava o vosso nome, ninguém se levantava para se apoiar em Vós, porque nos tínheis escondido o vosso rosto e nos deixáveis à mercê das nossas faltas. Vós, porém, Senhor, sois nosso Pai e nós o barro de que sois o Oleiro; somos todos obra das vossas mãos.»

in "Advento 2008" de Associação de Pais dos Alunos de do Colégio de São João de Brito

Partilha

Share/Bookmark

Advento 2008

Amigos convivas, para podermos viver esta época de uma forma verdadeiramente cristã criamos uma nova categoria onde partilharemos textos, pensamentos, fotografias, desabafos ou simples pensamentos. Da mesma forma teremos um pensamento diário que nos guiará na caminhada do Advento para O acolhermos da melhor forma.

Assim, para começar deixámos um pequena explicação do significado do Advento adaptada do site da Arquidiocese de Évora, de autoria do Pe. Francisco Couto:

«A palavra advento quer dizer vinda (que há-de vir), chegada. Chamamos Advento ao período de quatro semanas que antecede o Natal. E se o Natal é a celebração da vinda de Jesus, significa que o Advento é o período de tempo em que esperamos a chegada de Jesus.

Antes de se constituir em Roma por volta dos sécs. VI-VII, o advento havia já sido precedido de várias experiências na Gália, Hispânia e até mesmo no Norte da Itália. Os testemunhos que possuímos todos fazem referência a práticas ascéticas, mormente a prática do jejum.

O Advento de quatro semanas que herdámos sublinha os dois aspectos tradicionais deste período do Ano Litúrgico, isto é, a preparação para o nascimento de Jesus, a sua primeira vinda, e a espera da parusia, a segunda vinda. Apresenta-se, assim, o Advento como um tempo de espera do cumprimento da salvação.

Encontramos o Tempo de Advento dividido em dois momentos ou partes: o primeiro vai até dia 16 de Dezembro; o segundo começa dia 17 e vai até dia 24 de Dezembro. Este último período funciona como uma novena e prepara, de forma mais clara, a vinda de Jesus na história e ao coração do homem.

Duas são as grandes personagens deste Tempo: João Baptista, o percursor, e Maria, a Mãe do Senhor.

Olhando para os Domingos deste período do Ano Litúrgico (Ano B), apercebemo-nos que o tema da vigilância do primeiro Domingo, concretiza-se na pregação de João Baptista no tema da conversão, predominante no segundo Domingo («Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas»). O terceiro Domingo possui um carácter mais alegre e recorda-nos que o Reino de Deus já está no meio de nós: João Baptista dá testemunho d’Aquele que é o Messias, que não conhecemos, mas que já está no meio de nós e a que ele não é digno de desatar a correia das sandálias. O tema do quarto Domingo é o nascimento de Jesus anunciado à Virgem Maria pelo Anjo Gabriel.»

Partilha

Share/Bookmark

Olá amigos convivas…

Hoje queria partilhar convosco mais uma coisinha…

Tudo na minha vida corria bem. Estava no início do 12º e com muita vontade de estudar e entrar na universidade. Tinha os melhores amigos do mundo e a minha família a dar-me muito apoio. Para além disto tudo, uma pessoa fantástica ao meu lado que me ajudou a descobrir o verdadeiro significado da palavra amar.

Era muita felicidade junta não é? Pois, no meio de tanta felicidade, uma bomba rebenta na minha família… No espaço de uma semana fica-mos a saber que o meu Pai, uma pessoa saudável, tem um cancro nos intestinos, maligno, já bem avançado e é operado…

Não sei se conseguem imaginar como eu fiquei. Na altura só pensava que o meu pai ia morrer. Muitas vezes me questionei: o que faz uma miúda com 18 anos quando sabe que o pai tem cancro? O mais estranho é que eu naquela semana só pensava em mim. Os meus irmãos já são autónomos, e eu? Eu tenho um curso para tirar, tenho que ir para a universidade. Acho que nunca chorei tanto escondida…

Numa conversa com essa pessoa fantástica, ela diz-me esta frase “ Ele sabe sempre o que faz, nós é que podemos não O entender”, na altura não entendi muito bem, hoje não posso estar mais de acordo… Sei que Deus sabe sempre o que faz e em tudo o que nos acontece, há sempre alguma coisa a aprender…. No meio desta doença há muita coisa boa, mas a principal está na atitude do meu Pai. Sabem o que é entregar-se a Deus e não ter medo de nada? Foi isso que ele fez, era ele que nos dava força. Recordo-me dele antes de saber o que tinha, andava muito stressado com o trabalho. Quando sabe, fica muito calmo, com muita paz, com uma força sem igual, nunca o vi sem estar a sorrir e muito contente… muitas vezes eu me questiono: Como é que é possível esta entrega? Será que nós alguma vez vamos conseguir faze-lo? Será que somos capazes de nos entregar assim nas mãos Dele? A única coisa que ele dizia era, algo assim: “não há nada a temer, vai ser o que Deus quiser.” Fantástica atitude não é?

Era só isto que queria partilhar, reflictam sobre isto…

Um abraço bem fraterno de um 1052.

Partilha

Share/Bookmark

Bodas de Ouro Sacerdotais de D. Jacinto

No dia 15 de Agosto, completam-se 50 anos sobre a Ordenação Sacerdotal do Bispo de Lamego, D. Jacinto Botelho.
Nascido a 11 de Setembro de 1935, na localidade de Prados de Cima (Moimenta da Beira), o prelado desfia as suas memórias em entrevista à Agência ECCLESIA.

Para ler notícia completa clica em http://www.agencia.ecclesia.pt/noticia_all.asp?noticiaid=63205&seccaoid=6&tipoid=16

Partilha

Share/Bookmark

Aviso

O concerto de apresentação do Pe. Marcos foi adiado devido ao mau tempo.
Em breve daremos mais informações...
Até lá!! ;-)

Partilha

Share/Bookmark

POR UM NATAL MAIS FRATERNO


Partilha

Share/Bookmark

POR UM NATAL MAIS FRATERNO

Jesus anunciando o Advento


Olá convivas. Aproxima-se o Natal a grande velocidade e, com ele, as habituais campanhas que tornam esta temporada numa verdadeira época de comunhão e fraternidade. Para que possamos partilhar as campanhas que estivermos a promover nas nossas Paróquias ou então apenas para divulgarmos as iniciativas que formos tendo conhecimento e julgarmos valerem a pena criamos uma nova categoria no blog "Por Um Natal Mais Fraterno".
Contamos com a vossa participação! Porque assim daremos ao Natal o seu verdadeiro sentido.

Partilha

Share/Bookmark

Bem, espero que se divirtam um pouco, com mais esta BD, e que aprendam algo não é... não andamos a postar BD's só porque é engraçado ou porque não temos mais nada para postar (sim, já agora aproveito para relembrar que qualquer conviva pode enviar texto, imagem ou música por mail, que depois nós postamos aqui), é porque têm sempre uma moral, estas pequenas histórias. E já sabem, para verem a imagem maior, é só clicar em cima.

Partilha

Share/Bookmark

Evita o comodismo

Evita o comodismo, que te afasta de servir os outros. Muitas vezes, tens a grande oportunidade de repartir todo esse imenso potencial de bem que se armazena no teu coração. São tantas as criancinhas órfãs e carentes do teu afecto; tantos velhinhos que esperam pelo teu carinho; tantos doentes sem amigos, que pedem a caridade da tua visita... E tu, com tempo para dar, com amor para repartir, com vontade de ajudar, porque estás parado, à espera?...



[Pensamento de Pe. Nobre adaptado de "Comece o dia Feliz"]

Partilha

Share/Bookmark

Vigília jovem

Olá. Vimos propor-te uma actividade onde poderás encontrar outros Convívas. No próximo sábado, dia 22, às 21h, na Sé de Lamego, haverá uma Vigília Jovem em comemoração dos 50 anos de Sacerdócio do Sr. Bispo. É importantea tua presença. Traz algo que te identifique (a t-shirt, o cachecol). Até lá. Ah, claro, e avisa os outros convívas!!

Partilha

Share/Bookmark

CONCERTO

Pessoal, aí está o Padre Marcos, em grande, com um novo concerto, na Sé Catedral de Lamego, dia 29 de Novembro pelas 21h. Aparece! Ele vai gostar e tu também.

Partilha

Share/Bookmark

SABER OUVIR

UM DOS GRANDES DEFEITOS DO SER HUMANO: FALAR DEMAIS E NAO SABER HOUVIR...

P.S. clica na imagem para veres melhor.

Partilha

Share/Bookmark

Redacção de um aluno

Uma professora do ensino básico pediu aos alunos que fizessem uma redacção sobre o que gostariam que Deus fizesse por eles.. Ao fim da tarde, quando corrigia as redacções, leu uma que a deixou muito emocionada. O marido, que, nesse momento, acabava de entrar, viu-a a chorar e perguntou: - O que é que aconteceu? ' Ela respondeu: - Lê isto. Era a redacção de um aluno. *'Senhor, esta noite peço-te algo especial: transforma-me num televisor. Quero ocupar o lugar dele. Viver como vive a TV da minha casa. Ter um lugar especial para mim, e reunir a minha família à volta... Ser levado a sério quando falo... Quero ser o centro das atenções e ser escutado sem interrupções nem perguntas. Quero receber o mesmo cuidado especial que a TV recebe quando não funciona. E ter a companhia do meu pai quando ele chega a casa, mesmo quando está cansado. E que a minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida, em vez de me ignorar.. E ainda, que os meus irmãos lutem e se batam para estar comigo.. Quero sentir que a minha família deixa tudo de lado, de vez em quando, para passar alguns momentos comigo. E, por fim, faz com que eu possa diverti-los a todos. Senhor, não te peço muito...Só quero viver o que vive qualquer televisor.'* Naquele momento, o marido de Ana Maria disse: - 'Meu Deus, coitado desse miúdo! Que pais'! E ela olhou-o e respondeu: - 'Essa redacção é do nosso filho' PS - Talvez valha a pena ler outra vez... Este e-mail, sim vale a pena reenviar, não é um tantra nem nada disso, não ameaça de desgraças se não o mandarem, este vale mesmo a pena mandar para os amigos.

(autor desconhecido)

[Texto partilhado por Marlene Santos, CF 1052]

Partilha

Share/Bookmark

Reconciliar-se

Certo dia, alguém, aproximando-se do Mestre, perguntou-Lhe como fazer para ser agradável a Deus. Jesus disse-lhe que, se tivesse uma oferta a colocar no altar, mas tivesse atrás de si uma inimizade qualquer, que voltasse, se reconciliasse com o seu desafecto e, depois, só depois, entregasse essa oferta a Deus. Isso quer dizer que o melhor ofertório não é o das prendas materiais, mas sim o do amor no coração, o do perdão, o da paz. Reconciliar-se é sempre o caminho mais curto para se chegar a Deus.


[Pensamento de Pe. Nobre adaptado de "Comece o dia Feliz"]

Partilha

Share/Bookmark

Santidade é para todos

«Bento XVI lança apelo para os cristãos conhecerem a vida dos santos O apelo à santidade esteve no centro da catequese de Bento XVI, esta manhã em Castel Gandolfo. “A Igreja oferece para nossa reflexão, a vida dos santos para invocarmos e imitarmos”, apontou o Papa na audiência geral. “Os santos são a actualização no quotidiano do Espírito e representam a via de acesso a Jesus”. O Papa lembrou a importância de cultivar o conhecimento e a devoção aos santos, de meditar diariamente na Palavra de Deus e apontou também a importância da devoção mariana. “O período de férias oferece um tempo útil para conhecer as biografias e escritos de alguns santos em particular, mas todos os dias é-nos oferecida a oportunidade de nos familiarizarmos com os guias celestes”. A sua experiência humana e espiritual dos santos “mostra que a santidade não é um privilégio de poucos mas é o destino comum de todos os seres humanos chamados a ser filhos de Deus, uma vocação universal a todos os baptizados”, lembrou o Papa. “A santidade é uma oferta para todos. Não é apenas santo aquele que possui extraordinários carismas”. Bento XVI lembrou que são muitos os nomes que Deus conhece, “mas que são desconhecidos na Terra, porque levam uma vida normal”. “Deixemo-nos atrair por uma vida de santidade”, apelou. Nas mensagens em diversas línguas, o Papa lembrou as vítimas das tempestades que assolaram a Polónia nas noites de Sexta feira e Sábado, dias 15 e 16 respectivamente. “Fortes tempestades e furacões provocaram na Polónia três vítimas mortais e vários feridos. Algumas pessoas perduram tudo o que tinham na vida”, lembrou o Papa, afirmando a sua proximidade espiritual e as suas orações pelas vítimas.»
in Agência Ecclesia

Partilha

Share/Bookmark

Sermão do Nascimento da Mãe de Deus

"Quereis saber quão feliz, quão alto é e quão digno de ser festejado o Nascimento de Maria? Vede o para que nasceu. Nasceu para que dEla nascesse Deus. (...)

Perguntai aos enfermos para que nasce esta celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora da Saúde;
perguntai aos pobres, dirão que nasce para Senhora dos Remédios;
perguntai aos desamparados, dirão que nasce para Senhora do Amparo;
perguntai aos desconsolados, dirão que nasce para Senhora da Consolação;
perguntai aos tristes, dirão que nasce para Senhora dos Prazeres;
perguntai aos desesperados, dirão que nasce para Senhora da Esperança.

Os cegos dirão que nasce para Senhora da Luz; os discordes, para Senhora da Paz; os desencaminhados, para Senhora da Guia; os cativos, para Senhora do Livramento; os cercados, para Senhora da Vitória. Dirão os pleiteantes que nasce para Senhora do Bom Despacho; os navegantes, para Senhora da Boa Viagem; os temerosos da sua fortuna, para Senhora do Bom Sucesso; os desconfiados da vida, para Senhora da Boa Morte; os pecadores todos, para Senhora da Graça; e todos os seus devotos, para Senhora da Glória.
E se todas estas vozes se unirem em uma só voz, dirão que nasce para ser Maria e Mãe de Jesus"

Padre António Vieira

Partilha

Share/Bookmark

Jovens testemunham fé em Fátima



Três grandes grupos de peregrinos realizaram este Domingo a sua peregrinação a Fátima: o Movimento Nacional dos Convívios Fraternos, a Associação Nacional de Coxos e a Federação Portuguesa dos Dadores Benévolos de Sangue, que este ano realizou a sua 11ª peregrinação a este Santuário.
No total, registaram-se no Serviço de Peregrinos do Santuário como participantes na Eucaristia Dominical deste dia 14 de Setembro outros 28 grupos de peregrinos oriundos de dez países, incluindo Portugal.
Recentemente ordenado Bispo, em 29 de Junho deste ano, na Sé Nova de Coimbra, D. João Lavrador, Bispo Auxiliar do Porto, dirigiu-se sobretudo aos jovens, e muito em particular aos jovens Convivas que integram o Movimento dos Convívios Fraternos, movimento fundado em 1968 que realizou este ano o seu 35º Encontro/Peregrinação Nacional em Fátima.
“É grande a interpelação que nos é feita, sobretudo a vós jovens, que fizestes a experiência apaixonante do amor de Deus nas vossas vidas: estar no mundo, amando-o, não para se limitar a ser como o mundo mas, como recomenda o Apóstolo, para o transformar pela força do Evangelho”, exortou D. João Lavrador que se seguida disse ser possivel que cada homem e mulher deste tempo actue como discípulo de Jesus Cristo.
Num chamamento para cada um olhe para o mundo com o olhar de Jesus Cristo, e em Cristo, D. João Lavrador pediu aos jovens para que analisem o mundo e experimentem “a verdade de Jesus Cristo”, proclamando à sociedade que “Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e Vida”.
“Permitam-se que vos convide, neste santuário, amparados pela mão de Nossa Senhora, contemplando o seu Coração Imaculado, porque cheio do Amor do Senhor que a conduziu pelos caminhos da verdade de Deus ao encontro da verdade do homem, a renovardes a mesma experiência de Jesus Cristo actuante nas vossas vidas ‘Ele que sendo Deus, despojou-se a si próprio, tomando a condição de servo, ficando semelhante aos homens’, como afirma S. Paulo”, disse D. João Lavrador.
Na sua interpelação aos jovens, o Prelado disse-lhes também: “Neste Santuário de Fátima somos conduzidos pela mão materna de Nossa Senhora, convidando-nos a sermos jovens do nosso tempo, em conversão permanente ao Seu Filho. Não tenhais medo de propordes a vós mesmos e aos outros jovens o caminho da conversão como o único capaz de orientar para o homem novo que todos ansiais e a humanidade espera”.
“Amar o mundo, tal como Jesus, é participar nas estruturas da sociedade, oferecendo aos jovens, aos adultos, às crianças e aos idosos a esperança que brota do Evangelho. Todos lamentamos o deficit de participação pública dos cristãos. Por fidelidade à fé cristã, sede vós jovens os primeiros a incentivar os fiéis leigos das vossas comunidades cristãs a essa participação”, acrescentou D. João Lavrador.
Após o momento da comunhão, um grupo de Convivas apresentou um jogo cénico em frente do altar do Recinto de Oração. De forma original, com um tema musical inédito, os jovens, diocese a diocese, e também com representantes vindos de outros países, sublinharam o compromisso e o anseio pela busca da Verdade, e o apoio em Jesus Cristo, representado por uma cruz grande, branca, colocada no centro da representação.
O momento foi ocasião para que todos os Convivas presentes no Santuário e as suas famílias renovassem os seus votos de consagração a Nossa Senhora de Fátima.
Após a consagração, o Padre Virgílio Antunes, director do Serviço de Peregrinos e Reitor nomeado para o Santuário de Fátima, que entra em funções no próximo dia 25 de Setembro, dirigiu-se aos jovens Convivas dizendo-lhes: “O Santuário de Fátima tem sempre muito gosto em acolher-vos. A vós e a todos os outros jovens que queiram aqui e com Nossa Senhora encontrar tranquilidade e paz para as vossas vidas”.
Este movimento dos Convivas nacional já habituou Fátima à sua alegria e dinamismo, e sobretudo ao sentimento de júbilo acente na esperança renovada do sinal de fé aqui deixado pelos jovens Convivas.
A cidade acolhe, sempre em Setembro, o testemunho e a de jovens representantes de todas as dioceses de Portugal. As ruas e o Santuário de Fátima recebem novo colorido, isto porque uma marca distintiva deste movimento, ao jeito de arco-íris de tamanho nacional, é que cada diocese é representada por uma cor diferente.
É também de destacar nesta Eucaristia que a animação musical esteve a cargo de um coro de Dakar, Senegal, que também animou a Eucaristia Internacional Aniversária de 13 de Setembro.
Esta Eucaristia, presidida por D. João Lavrador, foi concelebrada pelo bispo irlandês D. John Magge e por 55 sacerdotes.
D. Magge, que cumprirá no próximo dia 24 de Setembro 72 anos de idade, é actualmente bispo de Cloyne, na Irlanda. No Vaticano, trabalhou na Congregação para a Evangelização dos Povos, e, depois, desempenhou as funções de Cerimoniário e Secretário dos Papas Paulo VI, João Paulo I e João Paulo II.

[LeopolDina Simões, Sala de Imprensa do Santuário de Fátima in Agência Ecclesia]

Partilha

Share/Bookmark

II Congresso do movimento Convívios Fraternos

O movimento de jovens e casais «Convívios Fraternos» vai realizar o II Congresso, cujo lema será «Vai pelo mundo mostrar a tua herança». Nos dias 11, 12 e 13 de Setembro, no Seminário do Verbo Divino, em Fátima, os representantes das diversas dioceses onde o movimento se encontra a trabalhar, bem como dos seus assistentes diocesanos estarão reunidos repensar a acção pastoral do movimento em Igreja.
Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a organização afirma que o Congresso será um momento “necessário e importante” para reflectir sobre “a preocupação central nos Convívios Fraternos e preocupação geral da pastoral da Igreja”.
Temas como a pastoral da Juventude, a evangelização dos jovens de hoje e a contribuição do movimento na acção de Igreja são assuntos para reflectir.
“O movimento «Convívios Fraternos» apresenta a verdade que é Cristo em união íntima com a Igreja. Somos Igreja, e como escreveu João Paulo II, é a eucaristia que faz a Igreja e a Igreja que faz a Eucaristia. Por isso também é centro e cume na pastoral desenvolvida pelo movimento”.
O movimento «Convívios Fraternos» encontra-se representado em todas as dioceses do país (excepto Açores) e está também junto de algumas comunidades migrantes, nomeadamente França, Luxemburgo e Suíça. O movimento também já foi introduzido em países de língua oficial portuguesa, nomeadamente Moçambique, Brasil e Angola.
O congresso antecede a peregrinação anual a Fátima do movimento, e será “uma excelente oportunidade de enriquecimento colectivo e de afinação de critérios pastorais e de actuação no processo de evangelização”.
(in Agência Ecclesia)

Partilha

Share/Bookmark

Encontro Nacional 2008

E quanto a Fátima, amigos, quem vai partilhar de toda aquela amizade, fraternidade, alegria, Fé....?

Partilha

Share/Bookmark

A aguardar...

Continuamos a aguardar as vossas opiniões, desabafos e comentários à questão colocada...

Partilha

Share/Bookmark

Nas férias...

Este domingo não deixamos nenhum texto, testemunho ou pensamento.

Porque nesta semana queremos saber como têm sido as vossas férias (daqueles que já as tiveram ou estão a ter).

Assim, colocamos apenas a seguinte questão:


O que tens feito com/por Deus nas tuas férias?

Partilha

Share/Bookmark

Sorri um pouco mais :-)

Procura sorrir um pouco mais. O sorriso é retrato da paz interior, do mesmo modo que se diz que os olhos espelham a alma. Andando pelas ruas, recebendo em tua casa, frequentando os teus círculos sociais - tem sempre um sorriso nos lábios. Não duvides nunca do bem que isso faz, da tranquilidade que exprime, do bem que irradia. A vida está demasiado difícil para que possas dispensar o sorriso amigo, fraterno e carinhoso.

[Pensamento de Pe. Nobre adaptado de "Comece o dia Feliz"]

Partilha

Share/Bookmark

As Férias segundo Joseph Ratzinger (Bento XVI)

TEMPO DE FÉRIAS - Poder descansar (*)
Os discípulos colocaram a Jesus o problema do stress e do descanso.
Os discípulos regressavam da primeira missão, muito entusiasmados com a experiência e com os resultados obtidos. Não paravam de falar sobre os êxitos conseguidos. Com efeito, o movimento era tanto que nem tinham tempo para comer, com muitas pessoas à sua volta.
Talvez esperassem ouvir algum elogio por tanto zelo apostólico. Mas Jesus, em vez disso, convida-os a um lugar deserto, para estarem a sós e descansarem um pouco.
Creio que nos faz bem observar neste acontecimento a humanidade de Jesus. A sua acção não dizia só palavras de grandeza sublime, nem se afadigava ininterruptamente por atender todos os que vinham ao seu encontro. Consigo imaginar o seu rosto ao pronunciar estas palavras.
Enquanto os apóstolos se esforçavam cheios de coragem e importância que até se esqueciam de comer, Jesus tira-os das nuvens. Venham descansar!
Sente-se um humor silencioso, uma ironia amigável, com que Jesus os traz para terra firme. Justamente nesta humanidade de Jesus torna-se visível a divindade, torna-se perceptível como Deus é.
A agitação de qualquer espécie, mesmo a agitação religiosa não condiz com a visão do homem do Novo Testamento. Sempre que pensamos que somos insubstituíveis; sempre que pensamos que o mundo e a Igreja dependem do nosso fazer, sobrestimamo-nos.
Ser capaz de parar é um acto de autêntica humildade e de honradez criativa; reconhecer os nossos limites; dar espaço para respirar e para descansar como é próprio da criatura humana.
Não desejo tecer louvores à preguiça, mas contribuir para a revisão do catálogo de virtudes, tal como se desenvolveu no mundo ocidental, onde trabalhar parece ser a única atitude digna. Olhar, contemplar, o recolhimento, o silêncio parecem inadmissíveis, ou pelo menos precisam de uma explicação. Assim se atrofiam algumas faculdades essenciais do ser humano.
O nosso frenesim à volta dos tempos livres, mostra que é assim. Muitas vezes isso significa apenas uma mudança de palco. Muitos não se sentiriam bem se não se envolvessem de novo num ambiente massificado e agitado, do qual, supostamente, desejavam fugir.
Seria bom para nós, que continuamente vivemos num mundo artificial fabricado por nós, deixar tudo isso e procurarmos o contacto com a natureza em estado puro.
Desejaria mencionar um pequeno acontecimento que João Paulo II contou durante o retiro que pregou para Paulo VI, quando ainda era Cardeal. Falou duma conversa que teve com um cientista, um extraordinário investigador e um excelente homem, que lhe dizia: "Do ponto de vista da ciência, sou um ateu...". Mas o mesmo homem escrevia-lhe depois: "Cada vez que me encontro com a majestade da natureza, com as montanhas, sinto que Ele existe".
Voltamos a afirmar que no mundo artificial fabricado por nós, Deus não aparece. Por isso, temos necessidade de sair da nossa agitação e procurar o ar da criação, para O podermos contactar e nos encontrarmos a nós mesmos.
(*) Card. J. Ratzinger "Esplendor da Glória de Deus" Editorial Franciscana, 2007, pág. 161.

Partilha

Share/Bookmark

Encontro Nacional de Convivas



Pessoal, está aí a chegar o Encontro Nacional de Convivas. Dias 13 e 14 de Setembro, em Fátima. A dormida mais a viagem são 25€. A partida será no dia 13, junto à Sé, em Lamego, às 8:00. Podes fazer a tua inscrição até 5 de Setembro. Inscreve-te. Se costumas ir, já sabes, não podes perder. Se é a primeira vez, vais ver que depois desta, nunca mais vais querer faltar.

Pe.Marcos Alvim: 966230154 / 917939951
alvim1976@hotmail.com

Partilha

Share/Bookmark

Foi nos passados dias 23, 24 e 25 de Abril que sempre fui ao “famoso” Convívio Fraterno. Chegando ao local encontrámos um grupo de pessoas a cantar, a rirem-se e a primeira coisa que eu pensei foi: nunca mais é segunda-feira (dia 25). Pois… e a segunda-feira sempre chegou, rápida demais. Nesses dias posso dizer que passei os melhores momentos da minha vida.
Agora percebo o porquê de toda a gente que participou nos Convívios Fraternos, sair de lá com uma alegria imensa, porque lá encontraram ou reencontraram Deus!!!
Todos os dias foram muito importantes, mas o segundo dia para mim foi, sem dúvida alguma, o mais importante. E importante porquê?! Porque foi o dia que mais próximo estive de Deus. O facto de podermos “falar” com Ele”, fez-me sentir uma enorme paz de espírito e um bem estar comigo mesmo. Senti-me em pleno equilíbrio para com a vida.
Agradeço a todas as pessoas que me incentivaram a ir, mas acima de tudo, agradeço a Deus por ter posto todas estas pessoas a fazerem parte da minha vida.
Neste momento sinto uma chama enorme que se acende dentro de mim, e aconselho a todos os que puderem ir aos futuros Convívios, que vão e desfrutem ao máximo o prazer de estar com Ele! “Não tenhais medo abri as portas a Cristo”, deixai Deus entrar nos vossos corações, porque Ele é tudo!

Nelson Alves (CF 972)

Partilha

Share/Bookmark



Partilha

Share/Bookmark

Sê optimista

Sê optimista. Encara todos os problemas da vida como uma prova de avaliação para as conquistas da vitória sobre cada um deles. Tudo passa. Tanto as alegrias como as dificuldades, por maiores que sejam. Nada é insuperável para quem sabe lutar e, sobretudo, para quem nunca se esquece da sua origem divina. Ou será que te esqueceste de que o Pai te vê, te acompanha e te ampara em cada passo que dás?

[Pensamento de Pe. Nobre adaptado de "Comece o dia Feliz"]

Partilha

Share/Bookmark

Abraço amigo…

Foi no dia 12 de Julho que decorreu o encontro inter-diocesano de convivas com os nossos amigos de Viseu. Foi neste espírito que aconteceu um dos abraços fraternos com mais significado e que me deixa a pensar …

Curiosos para saber ?? Então vou contar…

A caminhada terminava no santuário de nossa Senhora da Lapa, procurávamos espalharmo-nos junto ao altar para ouvir com toda a atenção as palavras fantásticas do nosso amigo pe. Zé Fernando. Eu fiquei mesmo abaixo das escadas… eis que uma coisa estranha acontece… um conviva muito querido por todos, não vê as escadas e acaba por cair, o mais curioso foi cair mesmo em cima de mim e eu segurei-o da forma mais bonita, com um abraço…

Ainda hoje me pergunto como consegui fazer aquilo, afinal eu sou tão magrinha e ele bem mais forte que eu. Claro que a colega que estava ao meu lado ajudou e certamente o conviva também… Será que o abraço quer dizer alguma coisa? Será que foi Deus que me ajudou a dar o abraço? Será que quando caimos está sempre alguém para nos abraçar? Será que nós somos capazes de dar esse abraço? Será que somos capazes de perdoar uma queda com um abraço??

Deixo ainda um abraço fraterno a todos vocês, amiguinhos….

Carla Lopes CF 1052

Partilha

Share/Bookmark

Vaso Chinês

Uma velha senhora chinesa possuía dois grandes vasos, cada um suspenso na extremidade de uma vara que ela carregava nas costas.
Um dos vasos era rachado e o outro era perfeito. Este último estava sempre cheio de água ao fim da longa caminhada do rio até casa, enquanto o rachado chegava meio vazio.
Durante muito tempo a coisa foi andando assim, com a senhora chegando a casa somente com um vaso e meio de água.
Naturalmente o vaso perfeito era muito orgulhoso do próprio resultado e o pobre vaso rachado tinha vergonha do seu defeito, de conseguir fazer só a metade daquilo que deveria fazer.
Depois de dois anos, reflectindo sobre a própria amarga derrota de ser 'rachado', o vaso falou com a senhora durante o caminho: 'Tenho vergonha de mim mesmo, porque esta rachadura que eu tenho faz-me perder metade da água durante o caminho até a sua casa...'
A velhinha sorriu:
Reparaste que lindas flores há somente do teu lado do caminho? Eu sempre soube do teu defeito e portanto plantei sementes de flores na beira da estrada do teu lado. E todos os dia, enquanto a gente voltava, tu regava-las.
Durante dois anos pude recolher aquelas belíssimas flores para enfeitar a mesa. Se tu não fosses como és, eu não teria tido aquelas maravilhas na minha casa.
Cada um de nós tem o seu próprio defeito. Mas é o defeito que cada um de nós tem, que faz com que nossa convivência seja interessante e gratificante.
É preciso aceitar cada um pelo que é... E descobrir o que há de bom nele.'
Portanto, meu 'defeituoso' amigo/a, tem um bom dia e lembra-te de regar as flores do teu lado do caminho...
(autor desconhecido)
[Texto partilhado por Anabela Talhada, CF 1052]

Partilha

Share/Bookmark

Uma vela e uma oração...

Um dos grandes males da internet é a facilidade com que prolifera a pornografia infantil.
Trata-se de um mal grande demais para podermos fazer alguma coisa...
Será?...
Não! Por muito pequeno que seja há gestos que podemos fazer e que decerto farão a diferença.
Assim, hoje, deixamos o endereço de um site de uma campanha via internet que permite acender uma vela virtual... O link é www.lightamillioncandles.com
A única que pedem é exactamente esse registo. Nós deixamos ainda a sugestão de acompanharem esse gesto com uma pequena oração por todos aqueles envolvidos neste acto tão vil.
Nós já acendemos a nossa vela!
E tu?
Podem também ver o vídeo da campanha em http://www.youtube.com/watch?v=NA2h5Gog8_g&feature=related
Vale a pena!!

Partilha

Share/Bookmark

Pegadas na areia

Uma noite eu tive um sonho.
Sonhei que estava andando na praia com o Senhor e através do Céu, passavam cenas da minha vida.
Para cada cena que se passava, percebi que ficavam dois pares de pegadas na areia: um era meu e o outro do Senhor.
Quando a última cena da minha vida passou diante de nós, olhei para trás, para as pegadas na areia e notei que muitas vezes, no caminho da minha vida apenas havia um par de pegadas na areia.
Notei também, que isso aconteceu nos momentos mais difíceis e angustiosos do meu viver.

Isso entristeceu-me deveras, e perguntei então ao Senhor."- Senhor, Tu disseste-me que, uma vez que decidi seguir-Te , Tu andarias sempre comigo, todo o caminho mas, notei que durante as maiores atribulações da minha vida existia apenas um par de pegadas. Não compreendo porque, nas horas que mais necessitava de Ti, Tu me deixaste."
O Senhor respondeu-me: "- Meu precioso filho. Eu amo-te e jamais te deixaria nas horas da tua prova e do teu sofrimento. Quando viste na areia, apenas um par de pegadas, foi exactamente aí que EU, nos braços...Te carreguei."

Partilha

Share/Bookmark

Deficiências

'Deficiente' é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

'Louco' é quem não procura ser feliz com o que possui.

'Cego' é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

'Surdo' é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

'Mudo' é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

'Paralítico' é quem não consegue andar na direcção daqueles que precisam de sua ajuda.

'Diabético' é quem não consegue ser doce.

'Anão' é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois: "A amizade é um amor que nunca morre."
(Recebido pela internet; autoria atribuida a Mário Quintana)

Partilha

Share/Bookmark

Bom dia!

Habitua-te a dar «Bom Dia» à vida que se renova para ti em cada manhã. Olha a claridade da luz. Contempla a beleza do céu. Respira a energia que o ar te traz. Olha para dentro de ti mesmo e sorri feliz, porque tudo isso é Deus dentro de ti e na natureza ao teu redor.
Levanta, todos os dias o teu pensamento, acorda o teu coração, enche-te da mais pura alegria e diz: «Obrigado, Senhor».

[Pensamento de Pe. Nobre adaptado de "Comece o dia Feliz]

Partilha

Share/Bookmark

“As coisas vulgares que há na vida não deixam saudade, só as lembranças que doem ou fazem sorrir. (“Chuva” de Jorge Fernando)
Pois, escrever em meia dúzia de linhas experiências que sejam para nós importantes não é nada fácil, e confesso que nunca pensei ser tão difícil falar do Convívio. Não sei de que escrever, pois foram muitos os momentos que lá passei (sim, e foram só três dias) e todos eles foram momentos muito bons. Muito mesmo!

Para que percebam mais ou menos deixem-me tentar explicar os meus pensamentos antes de decidir ir ao convívio. Este já era para se ter realizado em Outubro do ano passado, mas nessa altura, julgo que pelo número reduzido de elementos, teve que ser adiado. Há cerca de três semanas atrás voltei a ser convidada pelo Pe. Zé Augusto para ir a este convívio. Várias eram as coisas que me prendiam e impediam de poder dizer que sim. Estava numa altura em que faltar às aulas era impensável, mas também o que me parecia ser a única forma de compensar o tempo que iria “perder” no convívio e que precisava para terminar alguns trabalhos. Cheguei a chatear-me por teimarem comigo que se quisesse ir eu conseguia. Pois não me parecia de todo possível conseguir acabar os meus trabalhos até dia 22. Pois, afinal consegui-o para dia 21! Na segunda-feira dessa semana, senti que ia conseguir fazê-lo, de tal forma que confirmei logo o meu nome.

Como tal não tive muito tempo para me mentalizar que ia, quando dei conta já estava em alegre convívio com pessoas que não conhecia e já me doíam os maxilares de tanto rir. Juro! Claro que não foi só rir mas também não posso contar… J Deixava de ter piada, acreditem! Apesar disso nunca houve uma altura que me apetecesse vir embora ou ligar a alguém para dizer:”vem-me buscar.”, e sei que iam se eu ligasse. (Ah, e o portão esteve sempre aberto!). Sabia, e tive oportunidade de falar disso com algumas das pessoas que lá conheci, que me ia divertir e que ia ser uma experiência muito boa para mim. Quem me convidou, e quem insistiu para que eu fosse são pessoas que me conhecem muito bem. Disseram-me que eu ia adorar, e eu já estava a gostar. Estava a ser bom, divertido, muito giro, mas não era aquela loucura que falavam. “Será que era eu que era diferente? Calma Joana, também ainda é só o primeiro dia!” – pensei para mim. E assim foi.

No segundo dia do CF tive oportunidade de viver uma das experiências, senão a mais fantástica da minha vida… Tive oportunidade de olhar para quem está sempre a olhar por mim, tive oportunidade de falar com quem esta sempre a tentar falar comigo, tive oportunidade de agradecer a quem me presenteou com tudo que tenho (e não estou a falar de coisas materiais), tive oportunidade de responder que sim ao chamamento de quem nunca se cansou de me chamar…

Por fim, senti acesa a minha chama da fé, e é com essa alegria que permaneço até hoje recordando com saudade os momentos que lá passei… Foram rostos de espanto, alegria, felicidade e partilha! Rostos que não irei esquecer porque em cada sorriso que via, sentia também o meu redobrar de intensidade.

Ao terminar este testemunho sinto que não disse quase nada mas sinto também que por muito que escrevesse ia ficar sempre muita coisa por dizer. Porque há muita coisa que não se explica, sente-se e vive-se!

Por fim, um obrigado a quem me convidou a ir, a quem me “chateou a cabeça” para eu ir, aos amigos de Resende com quem tive o prazer de viver o convívio e a todos os que conheci lá. E, claro, a Deus, porque foi Ele quem me deu a oportunidade de viver esta experiência.

Joana Brás (Convívio Fraterno 972)

Partilha

Share/Bookmark

É impossível.
A adolescência já tinha acabado. Todos estes anos de egocentrismo não deixaram grande espaço para Deus no meu coração. Pior, não deixaram espaço nenhum para Ele no meu dia-a-dia... a vida complica-se, e começamos a achar que rezar é um desperdício de tempo... nem sempre temos vontade de parar para pensar. Achamos que estamos cansados...
E vivemos, por vezes desolados porque precisamos de desabafar com alguém. No entanto nunca nos apercebemos que está Alguém sempre connosco.
Sinto-O agora, como um pequeno nervoso miudinho juntinho ao coração, que nunca me vai largar. Sei que posso contar-Lhe tudo, e que não Lhe posso ocultar nada. E sei que posso ser sincero, e que a minha sinceridade não O vai magoar... vai ajudá-Lo a ajudar-me...
Este convívio ajudou-me a encontrar a Fé, que eu pensava ter perdido, mas que sempre procurei. Ajudou-me a perceber que nem todas as perguntas têm resposta, algumas até geram muitas mais perguntas! E podemos até nunca encontrar a resposta para muitas delas! Mas a resposta para algumas está muito mais perto do que julgamos: dentro do nosso coração.
Deus existe! E eu sei!

Pedro Silva (Convívio Fraterno nº 1000)

Partilha

Share/Bookmark

Convite de Bento XVI

«Cada pessoa precisa de um “centro” na sua vida, de uma fonte de verdade e de bondade à qual recorrer na sucessão das diferentes situações e no cansaço da vida quotidiana.

Cada um de nós, quando se recolhe, precisa sentir não somente o palpitar do coração, mas, de maneira mais profunda, o palpitar de uma presença fiável, perceptível com os sentidos da fé e que, no entanto, é muito mais real: a presença de Cristo, coração do mundo.
Eu vos convido, portanto, a renovar no mês de Junho a vossa devoção ao Coração de Cristo, valorizando também a tradicional oração de oferecimento do dia e tendo presentes as intenções que proponho a toda a Igreja.»

Bento XVI, Ângelus 01/06/08

Partilha

Share/Bookmark

"Eu conheço um país"

Porque hoje é dia de Portugal, citamos aqui este texto para reflectirmos e, quem sabe, mudar um pouquinho a nossa forma de (vi)ver (n)este cantinho à beira mar plantado. E porque nos devemos orgulhar dele muito além do futebol...
"Eu conheço um país que tem uma das mais baixas taxas de mortalidade mundial de recém-nascidos, melhor que a média da UE.
Eu conheço um país onde tem sede uma empresa que é líder mundial de tecnologia de transformadores.
Eu conheço um país que é líder mundial na produção de feltros para chapéus.
Eu conheço um país que tem uma empresa que inventa jogos para telemóveis e os vende no exterior para dezenas de mercados.
Eu conheço um país que tem uma empresa que concebeu um sistema pelo qual você pode escolher, no seu telemóvel, a sala de cinema onde quer ir, o filme que quer ver e a cadeira onde se quer sentar.
Eu conheço um país que tem uma empresa que inventou um sistema biométrico de pagamento nas bombas de gasolina.
Eu conheço um país que tem uma empresa que inventou uma bilha de gás muito leve que já ganhou prémios internacionais.
Eu conheço um país que tem um dos melhores sistemas de Multibanco a nível mundial, permitindo operações inexistentes na Alemanha, Inglaterra ou Estados Unidos.
Eu conheço um país que revolucionou o sistema financeiro e tem três Bancos nos cinco primeiros da Europa.
Eu conheço um país que está muito avançado na investigação e produção de energia através das ondas do mar e do vento.
Eu conheço um país que tem uma empresa que analisa o ADN de plantas e animais e envia os resultados para a toda a EU.
Eu conheço um país que desenvolveu sistemas de gestão inovadores de clientes e de stocks, dirigidos às PMES.
Eu conheço um país que tem diversas empresas a trabalhar para a NASA e a Agência Espacial Europeia.
Eu conheço um país que desenvolveu um sistema muito cómodo de passar nas portagens das auto-estradas.
Eu conheço um país que inventou e produz um medicamento anti-epiléptico para o mercado mundial.
Eu conheço um país que é líder mundial na produção de rolhas de cortiça.
Eu conheço um país que produz um vinho que em duas provas ibéricas superou vários dos melhore vinhos espanhóis.
Eu conheço um país que inventou e desenvolveu o melhor sistema mundial de pagamento de pré-pagos para telemóveis.
Eu conheço um país que construiu um conjunto de projectos hoteleiros de excelente qualidade pelo Mundo.

O leitor, possivelmente, não reconheceu neste país aquele em que vive... PORTUGAL. Mas é verdade.Tudo o que leu acima foi feito por empresas fundadas por portugueses, desenvolvidas por portugueses, dirigidas por portugueses, com sede em Portugal, que funcionam com técnicos e trabalhadores portugueses. Chamam -se, por ordem, Efacec, Fepsa, Ydreams, Mobycomp, GALP, SIBS, BPI, BCP, Totta, BES, CGD, Stab Vida, Altitude Software, Out Systems, WeDo, Quinta do Monte d'Oiro, Brisa Space Services, Bial, Activespace Technologies, Deimos Engenharia, Lusospace, Skysoft, Portugal Telecom Inovação, Grupos Vila Galé, Amorim, Pestana, Porto Bay e BES Turismo.
Há ainda grandes empresas multinacionais instalada no País, mas dirigidas por portugueses, com técnicos portugueses, de reconhecido sucesso junto das casas mãe, como a Siemens Portugal, Bosch, Vulcano, Alcatel, BP Portugal e a Mc Donalds (que desenvolveu e aperfeiçoou em Portugal um sistema que permite quantificar as refeições e tipo que são vendidas em cada e todos os estabelecimentos da cadeia em todo o mundo.É este o País de sucesso em que também vivemos, estatisticamente sempre na cauda da Europa, com péssimos índices na educação, e gravíssimos problemas no ambiente e na saúde... d o que se atrasou em relação à média UE...etc.
É tempo de mostrarmos ao mundo os nossos sucessos e nos orgulharmos disso."
Nicolau Santos, Director - adjunto do Jornal Expresso, In Revista "Exportar"

Partilha

Share/Bookmark

"Tinha a certeza que virias..."

"O meu amigo não regressou do campo de batalha, senhor. Solicito permisão para ir buscá-lo" disse um soldado ao seu general.

"Permissão negada", disse o oficial, "não quero que arrisques a tua vida por um homem que provavelmente está morto".
O soldado, não fazendo caso da proibição, saiu e uma hora mais tarde regressou mortalmente ferido, transportando o cadáver do seu amigo.
O general estava furioso : "Eu bem te disse que ele estava morto! Diz-me: valeu a pena teres ido lá para trazer um cadáver?"

E o soldado, bastante ferido, respondeu: "Claro que sim, senhor! Quando o encontrei, ainda estava vivo e ele pode dizer-me: tinha certeza que virias!

Partilha

Share/Bookmark

Balada da União

Amigos, como devem ter lido, o Balada da União teve que passar a sua publicação para bimensal por falta de recursos económicos.
Como principais interessados na sua continuidade, todos nós devemos fazer um esforço para assegurar a sua publicação. Reparem que basta apenas 5 euros anuais de cada conviva para superar as dificuldades financeiras (pensem que é apenas menos uma ida ao cinema por ano, ;) ).
E agora ainda se torna mais fácil contribuir, pois temos à nossa disposição o NIB para o qual podemos enviar o nosso contributo.
E, como temos a certeza que todos vamos cumprir o nosso dever, aqui deixamos o NIB:

NIB. 0033 0000 5000 1498 4060 5

Partilha

Share/Bookmark

Encontro Inter-Diocesano


Caros convívas, vimos por este meio, informar que, no dia 12 de Julho, se irá realizar em SERNANCELHE, na Senhora da Lapa, um encontro Inter-Diocesano, entre os convívas de Lamego e de Viseu.

Para te increveres, terás apenas de indicar o teu nome, o número do teu C.F., a paróquia, o número de pessoas e, se queres marcar almoço ou não. O almoço ficará por 6 euros/pessoa e só será garantido a quem fizer inscrição. Para fazeres a tua inscrição, basta enviares um mail com os dados em cima referidos para: polidodavid@hotmail.com.

A data limite da inscrição será até ao dia 5 de Julho.

Inscreve-te e divulga. Vamos juntos manter a chama acesa.

Partilha

Share/Bookmark

XXIII Jornada Diocesana Juventude

No passado Sábado, dia 17 de Maio, realizou-se no Sr. da Livração em Cujo, Castro Daire, a XXIII Jornada Diocesana da Juventude da Diocese de Lamego, com o lema “Uma partida, uma caminhada, uma chegada”.
Muitos Grupos de Jovens se encontravam presentes, assim como os seus Párocos, o Agrupamento do Corpo Nacional de Escutas de Castro Daire, as Guias e Escuteiros da Europa, e alguns habitantes da localidade, que também quiseram participar no evento.
À chegada ao local da Jornada, aguardava-nos uma recepção muito calorosa, com muita música, palmas e sorrisos. Por ordem de chegada, os diversos Arciprestados eram convidados a “entrar na Olaria de Deus” e a iniciar assim a sua caminhada.
Durante a caminhada até ao cimo do monte, fomos convidados a realizar algumas actividades organizadas pelos Animadores Juvenis, que animaram toda a Jornada, incluindo assistir a uma representação do Baptismo, entrar numa cabana com os Dons do Espírito Santo e deixar a nossa marca em cada um deles, a receber o Pão e o Vinho, entre outras.
Foi-nos oferecido uma peça de um puzzle que retratava a Última Ceia, que foi construído na “Meta” da Caminhada, em frente ao palco, e também uma lingueta com um dos Dons do Espírito Santo, onde se colocava o nosso nome, durante a Eucaristia foram-nos retiradas, misturadas, e no fim devolvidas aleatoriamente.
A “Meta” da Caminhada era o cume do monte, e assim que chegaram todos os participantes, a Eucaristia teve início, presidida pelo nosso Bisbo D. Jacinto Botelho, que este ano comemora o seu Ano Jubilar, pois completa 50 anos de Sacerdote, recebendo por isso um belo ramo de flores. A Eucaristia foi abrilhantada pelo Grupo Coral dos Jovens de Castro Daire, que cantaram maravilhosamente. Finda a Eucaristia, decorreu a partilha de farnéis, com os jovens espalhados pelos rochedos do local.
Por volta das 14h30, teve início a tarde recreativa, onde diversos Grupos de Jovens mostraram a sua habilidade para cantar e dançar, sempre com muita fé em Deus. Entre a actuação de cada Grupo de Jovens, os Animadores Juvenis animavam o público presente.
Quando acabaram todas as representações, foi convidado um jovem de cada Arciprestado a subir ao palco com a peça de um puzzle que correspondia ao seu Arciprestado, que tinha de encaixar com os Arciprestados vizinhos, de forma a construir o puzzle da Diocese de Lamego.
Foi rezada a Oração de Compromisso, e passada a chama ao Arciprestado que no próximo ano será responsável pela realização da Jornada, que neste caso será o Arciprestado de Resende, que irá realizar a XXIV Jornada Diocesana da Juventude da Diocese de Lamego no Penedo de S. João.
Deixo os meus sinceros parabéns a todos os jovens de Castro Daire, ao Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil e aos Animadores Juvenis, pois a Jornada estava muito bem organizada, foi muito divertido e houve muito convívio, porque é óptimo encontrar pessoas que já não se vêm há muito tempo, e só nestes encontros é possível.
E como “Recebereis a força do Espírito, Sereis minhas testemunhas até ao fim dos tempos…”, com a força do Espírito que recebi, aqui está o meu testemunho.
Raquel Melhorado, C.F. 898

Partilha

Share/Bookmark

Há já algum tempo que pensava em fazer o Convívio Fraterno, mas quando chegava a hora de assumir o compromisso, a vontade já era pouca, até que desta vez decidi mesmo ir e agradeço a Deus o facto de o ter feito.
Eu e mais três amigos partimos do Seminário de Resende no dia 22 de Abril sem saber exactamente o que iríamos fazer e encontrar. Chegámos à casa de S. José em Lamego um pouco estranhos e acanhados, tal como os restantes futuros convivas. Lá estavam à nossa espera as equipas orientadoras que nos dirigiram para uma sala em que as cadeiras eram um tanto ou quanto desconfortáveis. Desde logo começámos a cantar e a preparar-nos para a nossa longa caminhada.
O dia seguinte foi aborrecido e muito cansativo, o que levou muita gente a ponderar desistir. Porém, o segundo dia foi um dia muito especial para todos os presentes, pois já existia uma relação mais forte entre os convivas, o que levou a partilhar as nossas emoções entre todos e principalmente com Deus. No último dia penso que já ninguém queria ir embora, pois existia uma força dentro daquela casa que nos unia a todos. Eu desejava que aquele dia não terminasse mais pois sentia-me protegido tal como a maioria dos presentes. Porém, o dia chegou ao fim e os nossos familiares e amigos aguardavam a nossa saída.
Adorei o encerramento e todos o vivemos com muita intensidade. No fim todos chorámos de alegria pois todos tinham redescoberto Deus, tal como cantávamos “Deus está aqui tão certo como o ar que respiro”. Nesta longa caminhada de três dias aprendi a conhecer-me a mim próprio e aos outros, mas principalmente a acolher Deus mais uma vez no meu coração pois Ele é nosso amigo e ama-nos muito.
O quarto dia foi terrível de volta à realidade que parecia que já não fazia parte de mim. Sinto muitas saudades de tudo aquilo que passei, das cadeiras desconfortáveis, das canções, do pessoal da equipa, dos amigos que fiz, das caminhadas… de tudo mesmo. Hoje sinto-me muito feliz por tudo aquilo porque passei ao longo daquele fim-de-semana e espero manter a minha chama de conviva sempre acesa… hoje não tenho vergonha de dizer que acredito em Deus, pois Ele também acredita em mim.
Jorge Borges (Convívio Fraterno 972)

Partilha

Share/Bookmark

Maria



Tu Mãe, livre de pecado, mas não ausente de dor, pois Tu sofreste e sofres por todos os teus filhos. O teu olhar terno nos comove e enternece, sem ele vacilaríamos. Tantas vezes te desiludimos, mas nem por isso nos abandonas, mesmo quando menos esperamos Tu nos estas a pegar ao colo e aconchegar em teu seio. Hoje o dia que apareceste a três simples crianças, eu te quero dizer Mãe que muito injustos temos sido contigo, pois dos pedidos que fizeste poucos são os que conseguimos concretizar e nem por isso deixas de nos Amar. Perdoa-nos Mãe por sermos tão desobedientes, tão desleixados e tão ocupados para te agradar e te acarinhar. Mas com o tempo aprendemos que sem Ti nada será igual e então reconhecemos que do tempo que parece ser pouco para tudo, haverá sempre tempo para Ti.


Maria, Mãe e mulher, nos Te amamos.

[Vânia Carvalho]

Partilha

Share/Bookmark